KYOCERA Corporation apoia instituição TCFD para divulgação de informações financeiras relacionadas ao clima

19/03/2020
Logo da TCFD

A KYOCERA Corporation anunciou, em 10 de março, que apoiará a TCFD, uma instituição estabelecida pelo Conselho de Estabilidade Financeira (FSB), para realizar divulgações financeiras relacionadas ao clima.

Participaremos, ativamente, na divulgação de informações e analisará os riscos e oportunidades que as mudanças climáticas apresentam aos seus negócios, com base nas recomendações da TCFD.

O Grupo KYOCERA enfatizou o desenvolvimento sustentável a longo prazo, crescimento e lucratividade. Em resposta à mudança climática global, a empresa buscou uma redução de 30% nas emissões de gases de efeito estufa e um aumento de dez vezes na quantidade de energia que obtém de fontes renováveis até 2030*.

A KYOCERA também posicionou a sua área de negócios "Meio Ambiente e Energia" como um mercado-chave em sua estratégia de negócios principal e que está trabalhando para poder viabilizar a implantação da energia renovável com maior amplitude no mundo. Especificamente, o grupo trabalhou para estabelecer uma fonte de alimentação estável por meio da tecnologia VPP (Virtual Power Plant) e lançou um serviço que suporta a instalação de sistemas de geração de energia solar sem investimento inicial para o usuário.

A KYOCERA continuará contribuindo para uma sociedade de baixo carbono, promovendo tecnologias inovadoras relacionadas à energia e apoiando o estabelecimento de infraestrutura regional de serviços de energia.

Sobre a TCFD
Sua finalidade é padronizar e melhorar a qualidade das informações financeiras divulgadas pelas organizações, principalmente no que diz respeito a ativos expostos a potenciais perdas causadas pelas mudanças climáticas.

O TCFD foi estabelecido pelo FSB, uma organização internacional composta por bancos centrais das principais nações e autoridades reguladoras financeiras. Em fevereiro de 2020, mais de 1.000 organizações em todo o mundo, incluindo governos, instituições financeiras e empresas, endossaram as recomendações do TCFD.

*Referente ao ano fiscal de 2013


Voltar